Phenom II X4 980: o último suspiro da série

Com o lançamento da plataforma Brazos, a AMD se colocou em uma posição de grande vantagem nos netbooks e nettops, oferecendo uma APU que combina um razoável desempenho de processamento com uma GPU relativamente poderosa e aceleração de vídeo, resultando em um conjunto que oferece um desempenho muito mais equilibrado que o Atom em tarefas típicas, com desempenho para rodar um desktop com efeitos 3D, assistir a vídeos HD e Flash com decodificação via hardware, rodar aplicativos do dia a dia ou até mesmo rodar alguns jogos. Embora o Atom ofereça um consumo elétrico mais baixo, ele perde para a plataforma da AMD em praticamente todos os outros quesitos.

Subindo um pouco na pirâmide, temos a Athlon X2, uma opção de baixo custo para desktops low-end, que desfruta de uma boa oferta de placas-mãe de baixo custo e compatibilidade retroativa com placas AM2 antigas. O desempenho não é tão competitivo se comparado com os Core i3 e i5 baseados no Sandy Bridge, mas eles são difíceis de bater em termos de custo-beneficio. No high-end a AMD tem se defendido com os Phenom II X6, que apesar de estarem longe de ocuparem as posições mais altas nos benchmarks, são atrativos em diversas áreas graças ao preço baixo. O Phenom II X6 1100T que é o mais rápido dentro da linha custa apenas US$ 239 nos EUA.

O grande problema da AMD é a falta de um chip mid-range competitivo. Enquanto o Llano não chega, a AMD é obrigada a competir com o Sandy Bridge usando o Phenom II X4, ama arquitetura defasada, lançada a mais de dois anos atrás para competir com o Core 2 Duo. Mesmo cortando os preços até o limite, a AMD está tendo dificuldades para competir até mesmo com o Core i5-2400.

A cartada final é o Phenom II X4 980, anunciado essa semana. Ele oferece os típicos 4 núcleos com 512 KB de cache L2 cada e 6 MB de cache L3 compartilhado, operando a 3.7 GHz. Além de trazer mais um pequeno aumento no clock, ele vem com o multiplicador destravado, que permite extrair tudo o que o processador for capaz de oferecer.

Ele é o melhor que se pode obter usando a velha arquitetura K10 com produção de 45 nm, mas mesmo assim perde por uma boa margem para o Core i5 2400 de 3.1 GHz (que custa US$ 5 mais barato) em quase todas tarefas, oferecendo ainda por cima um consumo cerca de 50 watts mais alto em full-load. Em overclock, é possível atingir tranquilamente os 4.1 GHz (ou até 4.3 se você quiser ir até o limite), o que reduz a desvantagem em termos de desempenho, mas em compensação aumenta ainda mais o consumo.

Para quem já tem uma placa AM3, o Phenom II X4 980 pode servir como uma último fôlego antes de trocar de PC. Por US$ 195 ele não é exatamente barato, mas é sem dúvidas um upgrade que sai muito mais em contra do que montar um novo PC baseado no Sandy Bridge. Por outro lado, é muito difícil encontrar um bom motivo para usá-lo em um novo PC. Isso tudo mostra o quão desesperadamente a AMD precisa de uma nova arquitetura.

Fonte: Hardware.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s