De amigo a vilão: as duas caras do imã na tecnologia

Presente em vários componentes eletrônicos, ímãs também podem causar danos irreversíveis às peças. Saiba os motivos!

Você sabia que está utilizando um imã neste exato momento? Pode não estar brincando com ele, mas a presença de peças magnéticas é essencial para o funcionamento do seu computador. Exatamente, no seu computador há uma série deles, espalhados por diferentes componentes e periféricos, podendo ser encontrados até mesmo em monitores.

Positivo e negativo

Apesar das inúmeras funcionalidades, os imãs também possuem um lado ruim. Quando utilizados de maneira equivocada (sem o isolamento ou a distância necessários para que não afetem outros campos eletromagnéticos), é comum que alguns dispositivos sejam afetados pelo magnetismo. São os famosos casos de “tela vazada” e alguns outros, sobre os quais falaremos mais à frente.

Eles estão em tudo

Não é exagero dizer que os ímãs estão por todos os lados. Grande parte dos componentes eletrônicos os utiliza, desde os pequenos alto-falantes até os mais poderosos discos rígidos. Ímãs são necessários para estabilizar campos eletromagnéticos e, por isso, somente placas e alguns outros dispositivos deixam esses componentes de fora.

Imã faz o som

As caixas de som, mesmo as mais simples, possuem pequenos ímãs. Quanto maior for a caixa, maios forte deve ser o campo magnético utilizado para garantir a qualidade do som e, por isso, os ímãs devem ser maiores. E por que eles são necessários para garantir que as músicas serão reproduzidas da melhor maneira possível?

Não é um mecanismo simples, mas é fácil compreender. Existe sempre um imã fixado à caixa e um eletroímã preso ao cone sonoro (a parte que vemos “indo e voltando”, mais visíveis em subwoofers). Quanto mais alto for o volume da canção reproduzida, mas energia elétrica é despendida para o eletroímã, que se torna mais magnetizado e é atraído para o ímã fixo.

Imãs e eletroímãs em conjunto

Fonte da imagem: Wikimedia Commons/Metoc

A atração e a repulsão, sendo alternadas de maneira tão veloz, são resultado da alternância de corrente. Quando o eletroímã é eletrificado, ele fica com polo positivo e é atraído pelo negativo do ímã fixo. O contrário acontece quando o eletroímã perde a carga, ficando também negativa; nesse momento ocorre a repulsão.

Quanto mais grave for o som, mais presente é o eletromagnetismo. Por isso, torna-se muito importante que caixas de som destinadas aos graves sejam maiores e possuam ímãs mais potentes, como é possível notar pelos kits de áudio dos carros, que geralmente possuem subwoofers com o dobro do tamanho de outras caixas.

Coolers e seus motores

Motores elétricos utilizados em pequenas escalas (como todos os existentes em coolers de computadores) são compostos por eletroímãs. Isso significa que são utilizados dispositivos elétricos para que sejam criados campos magnéticos. Com a repulsa e atração dos corpos presentes nos motores é gerado o movimento.

Nos coolers do processador, placa de vídeo e fonte, o processo funciona dessa mesma maneira. A eletricidade passa pelos circuitos dos componentes, fazendo com que a carga elétrica gere um campo magnético que irá trabalhar em conjunto com os ímãs fixos. Assim o motor elétrico é ativado e os coolers giram para refrigerar as peças do computador.

Unidades de disco rígido

Discos rígidos óticos (HDs) também necessitam de motores elétricos parafuncionar. Por isso, caso um dia você desmonte o seu HD antigo (e que não vá mais ser usado) e encontre imãs (bastante fortes, por sinal), não se assuste.

Todo imã tem um lado negativo

Como dissemos no início o artigo, os imãs também oferecem alguns riscos para os usuários, grande parte deles relacionados à utilização indevida das peças. Agora vamos conferir um pouco mais dos momentos em que os imãs deixam de ser úteis, sendo considerados vilões por grande parte das pessoas.

Televisores e monitores CRT

Hoje em dia, os monitores estão sendo lançados com opções para desmagnetização automática. Mas quando falamos de telas de CRT (aquelas com tubos de imagens), a conversa precisa ser diferente. Elétrons estão sendo disparados contra a tela o tempo todo, o que gera uma carga elétrica bastante grande no sistema, que em conjunto com imãs forma um conjunto eletromagnético.

Televisor afetado pelo magnetismo

Fonte da imagem: MIT

Quando imãs externos são aproximados das telas, a estabilidade do eletromagnetismo é alterada, gerando campos magnéticos irregulares. O resultado visível disso é o “escorrimento” das imagens para o canto da tela que estiver próximo à peça. Em curto prazo não existe problema para isso, mas com a repetição da prática os danos podem ser irreversíveis.

Caixas de som

Você acabou de saber que as caixas de som possuem imãs em suas estruturas, utilizados para a construção de um sistema eletromagnético de repulsão e atração dos cones sonoros. Aproximar outros imãs dessas caixas pode ocasionar desestabilização semelhante à que ocorre com os televisores, fazendo com que a qualidade do áudio emitido seja afetada.

Caixas de som potentes podem ser um problema também para os monitores (incluindo LCDs), principalmente quando ficam muito próximas às telas. O motivo é a presença de grandes eletroímãs utilizados na composição dos alto-falantes (responsáveis pelo movimento de uma espiral elétrica que aciona o cone durante a produção sonora).

Componentes de hardware

Há vários componentes dos computadores – e outros eletrônicos – que também podem ser afetados pela presença de imãs. É o caso dos discos rígidos, que apesar de possuírem discos magnéticos e imãs integrados a eles, não podem ser afetados por outros campos magnéticos, pois as informações podem acabar sendo danificadas (devido ao desvio de elétrons que acontece).

Estragos podem acontecer

Atualmente, a grande maioria dos HDs possui isolamento para evitar que esse tipo de erro aconteça, mas, dependendo da intensidade do campo magnético, o isolamento não é tão eficiente. O magnetismo pode afetar também pendrives e outros dispositivos de memória Flash, como cartões de memória.

Mito ou verdade: imãs de geladeira são nocivos aos computadores?

Já dissemos que um motivo para que os imãs estraguem alguns componentes é a intensidade do campo elétrico. Imãs de geladeira possuem campo magnético bem fraco, por isso não há problemas em anexar alguns pequenos imãs de geladeira na tampa metálica dos gabinetes. Muitos usuários fazem isso para personalizar suas máquinas e podem continuar fazendo sem medo.

Comportamento seguro

Você já viu o quanto os ímãs são importantes e também já sabe alguns dos riscos que eles oferecem. Agora, vamos explicar rapidamente alguns dos comportamentos relacionados à utilização dos ímãs que são considerados seguros e que evitam danos a aparelhos e componentes.

  • Evitar aproximar caixas acústicas de monitores;
  • Não passar ímãs perto de caixas de som ou telas;
  • Desmagnetizar monitores com frequência; e
  • Não aproximar ímãs de componentes eletrônicos.

Fonte: Baixaki.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s